Treinos de Natação em águas abertas

Atualizado: Abr 6


Olá caro leitor.


Se você, assim como eu, é adepto a natação em águas abertas, ou é treinador de natação e quer levar seus alunos para treinar em águas abertas, vai tirar proveito desse conteúdo.


Nadar em águas abertas requer vários cuidados para que possamos praticar com o básico de segurança e conforto.


Esses cuidados devem ser observados mesmo por nadadores experientes dado as imprevisibilidades e riscos envolvidos. Mesmo analisando bem as condições, diversas variáveis podem trazer surpresas durante a prática, muitas delas não agradáveis.


Então oque devemos saber e avaliar antes de cair na água?



Reconhecer o ambiente


Mar, represa, lagos ou rios. Cada um tem características próprias, é importante entender essas variáveis da água que vai encarar: temperatura, densidade, limpides e profundidade. Esses pontos são bem particulares e podem favorecer ou dificultar a sua natação. Lidar bem com essas características requer treino e adaptação. As combinações desses fatores são inúmeras e cada local tem seu perfil, ainda assim, variáveis climáticas por exemplo, podem influenciar um provável padrão nesse local, ou seja, não conte com padrões.



Correntes


A água está em movimento invariavelmente. Mesmo em lagos ou represas, aparentemente de águas paradas, a ação de vazantes ou do vento por exemplo, podem gerar correntes. No mar ou em rios esse fator é mais comum e importantíssimo, porque podem determinar o ritmo que você conseguirá avançar no seu deslocamento, a direção e navegação adequada de seu percurso ou até mesmo se você será arrastado pela corrente. Lembro que mesmo nadadores mais velozes irão desenvolver velocidades médias por volta de 4 a 5km/h o que significa que se enfrentarmos correntes iguais ou superiores a nosso velocidade perdemos a capacidade de deslocamento. Essas velocidades de correntes, 3 a 5km/h são bem frequentes em rios e mar podendo ultrapassar em alguns pontos 8km/h.

É necessário avaliar o comportamento das correntes antes da entrada na água para traçar um percurso mais seguro e eficiente. Inclua nesse plano de percurso uma margem de segurança caso as condições de correntes piorem.

No mar, correntes marítimas e correntes de retorno, mais próximas as praias, são naturais e devem ser bem avaliadas antes do início do treino, influenciando o percurso, local de entrada e de saída.

Lagos e represas, formam correntes fortes com influência de ventos, isso pode complicar bastante sua natação.

Nos rios, a velocidade das correntes sofrem influências fortes da inclinação do terreno, do volume de água que podem estar relacionadas a incidência de chuvas ou até mesmo de barragens próximas, do estreitamento das margens que acelera a água ou de bancos de areia que reduzem a profundidade e causam o aumento de correntes, é comum encontrarmos redemoinhos ou sumidouros nesses pontos.

É muito importante entender essas condições e estar preparado para encontra-las no seu percurso de natação em águas abertas.



Situação climática


As condições climáticas são determinantes para sua natação em águas abertas. Elas podem alterar rapidamente o ambiente e colocar em risco o nadador.

É importante consultar previamente as condições climáticas e analisar bem esses dados. Em geral, a curto prazo temos boas condições de previsão, porém é comum termos surpresas como a antecipação de uma entrada de frente fria ou ventos por exemplo.

Essas alterações nas condições do clima no local podem ser muito rápidas e perigosas, por isso procure entender esses fenômenos e respeite, porque certamente, eles têm muito mais força do que qualquer nadador.

A orientação e velocidade do vento, rajadas, ondulações, precipitação de chuvas, volume de chuva, trovoadas, incidência de sol, são pontos que devem ser considerados em sua avaliações climática pré treino.



Segurança


O nadador é um corpo muito pequeno na água e ainda está com 70% de sua massa submersa. Garantir que se torne mais visível para embarcações e muito importante. O uso de boia sinalizadora e de touca com cores vibrantes ajuda bastante.

Importante escolher pontos em que tenha menos tráfego de embarcações. Marinas e barcos geralmente estão em locais de águas mais abrigadas por isso é comum termos que dividir espaço na água. Procure analisar os pontos de entrada e saída de barcos e os trajetos de navegação, marinheiros costumam seguir uma orientação, exceto pequenas lanchas e jet ski, que oferecem mais riscos por serem mais versáteis e acessarem pontos mais próximos á costeiras ou mais rasos. Se antecipe no contato visual caso haja aproximação de embarcações, certifique-se que o marinheiro está te vendo.

Procure horários de menor frequência de embarcações a fim de diminuir os riscos.



Orientação


Crie referências de seu percurso ainda fora d'água. Trace sua navegação. Use pontos fixos e de fácil visualização como: montes, costeiras, Ilhas, antenas, prédios etc.

Avalie constantemente sua navegação checando as referências e seu ritmo. Frequentemente é quase imperceptível a entrada em uma zona de corrente ou em um ponto de rajadas de vento.

Não exite em ajustar seu percurso ou abortar um treino caso haja situações adversas ou que possam te colocar em risco.



Sozinho ou em grupo?


Certamente em grupo você se sentirá mais seguro, porém ainda assim é importante debater essas condições e garantir que estejam todos seguros para a travessia. Na água cada um deve garantir sua própria segurança, portanto esteja ciente e confiante sobre todos os aspectos de segurança do treino. Nadadores despreparados podem gerar situações bem complexas para o grupo ou parceiro de natação, por isso, se você se dispõe a nadar em grupo esteja ciente que além da sua segurança a segurança do seu companheiro é sua responsabilidade também.

Se possível conte com o apoio de um caiaque ou prancha, que vai lhe oferecer mais segurança e conforto.

Sempre deixe de sobre aviso guarda vidas locais, ou se não houver, alguma pessoa de confiança em terra.

Caso for participar de treinos em grupo ou simulados de prova, certifique-se que haja uma estrutura condizente as condições do treino e número de pessoas e que os responsáveis tenham o entendimento e cuidado com as questões de segurança.



Treinar ou recrear em águas abertas é uma experiência incrível, porém deve ser feita com bastante consciência e responsabilidade.

Treine bastante, se adapte gradativamente aos treinos mais complexos e situações mais arriscadas, estude bem todos os pontos citados nesse texto e sempre seja prudente. Dessa forma certamente irá desfrutar muito dessa modalidade fascinante.


Bom treino à todos!


Fabricio Vieira

CEO da Interativa Esporte, é Educador Físico, Pós Graduado em Administração e Marketing Esportivo e Especialista em treinamento Esportivo. Atua no mercado desde 1995 em diversos projetos esportivos de Treinamento, Gestão, Terceiro Setor, Eventos e Marketing.

301 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TOKYO 2020